Os 9 erros que arruínam a tua alimentação.

Recupera o controlo do que comes

1.      Eliminar as gorduras. Contêm muitas calorias, verdade, mas são essenciais para a vida e imprescindíveis no desporto. Se as eliminares vais incorrer em carências perigosas, além disso o teu rendimento baixará muito e correrás perigo de infeções. Não te devem faltar (30% das calorias) e a grande maioria delas devem ser insaturadas.

2.      Comer poucas leguminosas e frutas. São alimentos ricos em antioxidantes, vitaminas, minerais e fibra alimentar. Segue a regra de 5 por dia nas frutas e não deixes de comer um par de pratos de leguminosas por semana.

3.      Suprimir as féculas. Têm má fama e há muitas dietas que começam por as retirar, mas são alimentos ricos em glúcidos, que te dão energia e sabendo distribuí-los ao longo do dia, de preferência quando tens treino, são muito benéficos. As batatas, arroz, pão, massa… não devem faltar se és desportista, mas escolhe melhor os que têm um índice glicémico mais baixo.

4.      Comer pouco ao pequeno-almoço. Esta é a refeição com que inicias o dia e trava o catabolismo a que te submetes durante a noite, ativando o teu metabolismo. Um simples café não é suficiente para isso, tenta ingerir hidratos de carbono, proteínas e inclusivamente um pouco de gordura.

5.      Comer sobremesas muito açucaradas. Se é muito doce é provável que tenha um alto índice glicémico e isso significa que a sobremesa ou o alimento em questão induz uma secreção massiva de insulina, a hormona que ativa o armazenamento da glicose em forma de gordura e reduz o nível de açúcar no sangue.

6.      Jantar abundantemente. Sobretudo se te deitas cedo depois, o teu sono não será tão tranquilo e a digestão será lenta e pesada, sendo mais fácil que os alimentos se guardem como reserva em vez de se queimarem.

7.      Beber apenas quando se tem sede. Se estás a treinar ou a competir e esperas por sentir sede os teus músculos já têm uma certa desidratação. Recomenda-se beber 1 litro ou mais por cada hora de esforço continuado, com sais minerais e alguma fonte de energia se vais treinar mais de hora e meia.

8.      Não comer depois do esforço. O estado catabólico que induz o esforço deve ser compensado com a ingestão de alimentos para ter uma recuperação mais rápida e para encher os depósitos de glicogénio e evitar mais catabolismo (perda) muscular.

9.      Comer em excesso antes do esforço. Os músculos precisam de sangue e nutrientes para se moverem de forma eficaz e o mesmo acontece com o teu sistema digestivo, que precisa de muita energia para digerir uma refeição abundante. Exercício intenso e digestão simplesmente não são compatíveis.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.