SEM VERGONHA DE DAR TCHAU.

Quando pensamos em boa forma, normalmente lembramos de pernas, abdômen e bumbum perfeitos. Mas um músculo pouco visto pode entregar a idade, os quilinhos extras e uma rotina sedentária quando a pessoa resolve dar um singelo “tchauzinho”. Trata-se do tríceps, que fica na parte superior e posterior do braço, entre a axila e o cotovelo.

O professor de educação física e personal trainer Cesar Patti (SP) explica que o enfraquecimento deste músculo é provocado por fatores como avanço da idade, sedentarismo, alimentação desregrada, predisposição genética e algumas patologias que levam à perda do tônus muscular.

Em geral, uma rotina de exercícios localizados, sobretudo séries de musculação para membros superiores, consegue enrijecer o tríceps. Porém, especialmente nos casos em que a pessoa tem um percentual alto de gordura, pode ser indicada uma intervenção cirúrgica, de caráter estritamente estético. Se o índice de gordura não for tão elevado, dieta e atividade física – focando simultaneamente a perda de peso e a musculação para diminuir a flacidez – já dão bons resultados.

Patti destaca que, ao contrário do que alguns acreditam, não é necessário perder gordura antes de partir para o fortalecimento dos músculos. Quando a pessoa começa a se exercitar, automaticamente começa a ganhar massa magra. “Às vezes, o peso é quase o mesmo, mas o indivíduo se olha no espelho e se vê magro porque está perdendo tecido gorduroso e ganhando massa magra.”

O tríceps pode ser exercitado em máquinas disponíveis em academias, ginásticas funcionais e com pesinhos. “Ao ar livre, dá para aproveitar os equipamentos que costumam ter em pistas de corrida e até elementos como cadeira e banco para trabalhar isoladamente esse grupo de músculos”, diz o personal.

De acordo com ele, ao estimular o tríceps, necessariamente se exercita também o bíceps, que gira o antebraço e flexiona o cotovelo. “Um e outro se revezam como agonista [músculos que realizam os movimentos desejados] e antagonista. Se o bíceps faz uma ação, o tríceps se opõe e vice-versa. Isso dá equilíbrio ao movimento”, conta.

Como exemplo, Patti destaca a mecânica: ao puxar, os braços usam os bíceps, e para estender, o tríceps. É bom lembrar, no entanto, que os exercícios devem ser sempre acompanhados por um profissional, que definirá as sequências mais recomendadas para cada um.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.